Melhore 1% a cada dia: o Caminho para o auto-aperfeiçoamento Kaizen

por Appollo – 2015 (tradução)
Fonte: Get 1% Better Every Day: The Kaizen Way to Self-Improvement

Melhore 1% a cada dia: O Caminho para auto-aperfeiçoamento Kaizen

 

[Imagem: axe.jpg]

 

Já aconteceu com todos nós.

Você tem um “volta Jesus” por um momento e decide que precisa fazer mudanças em sua vida. Talvez você precise gastar algum dinheiro, pagar alguns débitos, ou está desesperado para sair desperdiçando tempo na internet.

Então você começa a planejar e esquematizar.

Você toma seu diário e escreve em negrito uma estratégia ousada que te auxilie no lidar com sua busca pelo auto-aperfeiçoamento. Você define grandes e difíceis metas inteligentes com prazos firmes. Você baixa aplicativos e compra equipamentos que iráão ajudá-lo a alcançar seus objetivos.

Você sente uma grande pressa que vem acreditando que você está virando uma nova página, e, na verdade, os primeiros dias vão muito bem. “Desta vez”, você diz a si mesmo, “desta vez será diferente”.

Mas então…

Você tem um longo dia de trabalho, você simplesmente não faz ginástica, e pelo amor de Deus, comer uma pizza inteira iria realmente fazer você se sentir melhor.

Ou uma despesa inesperada surge, e sua conta bancária mergulha de volta para o vermelho.
Ou você decide que você está muito bem e focado, então não há nada de mal em uns poucos minutos de navegação na web sem rumo certo?

Em questão de dias, seu fogo de ambição para mudar a si mesmo se extingue. E esse plano audacioso, perfeito em seu diário? Você não precisa nem olhar para ele novamente porque junto com seu objetivo de perder peso, sua meta diária no diário também chegou a uma morte prematura.

E então você está de volta onde você começou, muito pior do que antes. Porque agora você não é apenas um gordo, endividado, e um homem facilmente distraído, você é um homem acima do peso, em dívida, e facilmente distraído que falhou em não estar acima do peso, em divida, ou facilmente distraído. A ferroada da falha pode ser sentida como um soco intestinal existencial.

Mas o tempo cura todas as feridas. A natureza – para melhor ou pior- nos abençoou com memórias terríveis, então nós esquecemos quão horrível nos sentimos quando falhamos em nossa última tentativa de melhorar a nós mesmo radicalmente.

Assim, depois de seis meses a vontade para mudar a si mesmo retorna, e todo cenário se repete novamente, como afirma Napoleon Hill.

Caindo fora da Montanha Russa do Desenvolvimento Pessoal

A nossa busca para se tornar melhor muitas vezes é como sentimento de um passeio de montanha russa com seus altos e baixos. No momento que você está indo para baixo no seu auto-aperfeiçoamento, pela vigésima vez, você está vomitando ao lado de seu carrinho numa auto-repulsa, amaldiçoando-se mais uma vez por ter comprado um bilhete para andar na montanha-russa.

Porque nossas tentativas de melhorar a nós mesmo são tão irregulares, e por que elas tão frequentemente terminam em fracasso? Existem algumas razões:

Focar-se em grandes objetivos nos esmaga em inação. É um artigo de fé no mundo do Desenvolvimento Pessoal que você tem que perseguir grandes objetivos. Você não quer apenas dominar em sua própria vida – você quer dominar o mundo.

E assim você elabora planos para deixar para trás 99% dos planejamentos lá fora, e se foca na parte dos extraordinários 1% – não necessariamente como medida de riqueza pura, mas com paixão, em ser fitness, ter independência financeira, postar fotos de viagens a Machu Picchu no seu feed do Instagram.

Mas a enormidade de seus objetivos acaba sobrecarregando-o e o joga na inação. O que nós modernos chamamos de “estresse” seria melhor chamado de “medo”, a reação fisiológica é a mesmo em ambas as emoções. A grande meta, audaciosa olha para seu cérebro apenas como um tigre de dentes de sabre perseguindo-o na floresta, e a idéia de pagar R$1.000,00 em dívida de empréstimo como estudante parece tão impossível que ela é realmente assustadora. E quando o nosso cérebro depara-se assustado, a velha amígdala ativa o modo de luta-fuga-inação, e você assume a posição de cervo-empacado-em frente aos faróis (paralisado de medo!).

Metas gigantes podem ser inspiradoras. Mas como muitas coisas inspiradoras – um leão, um buraco negro, o Grand Canyon – elas podem também te engolir inteiro.

Achamos que uma pílula mágica vai nos salvar. Dizemos que nós somos capazes de superar os efeitos da sensação de entorpecimento apontados pelas radicais mudanças pessoais, e nós começamos a tomar medidas no sentido de atingir nossos objetivos. Como seres humanos estamos acostumados a fazer, em vez de ficar apenas fazendo o trabalho certo as coisas chatas, mundanas, testando coisas o tempo todo que trarão sucesso, nós tipicamente começamos a olhar para “hacks” que nos levarão aos resultados que queremos o mais rápido possível. Queremos que a pílula mágica funcione o mais rápido possível e com tão pouco trabalho quanto possível. Queremos uma pílula mágica que irá permitir acertarmos um tiro certeiro no nosso alvo como apenas um tiro cegando os olhos de um touro.

O perigo da procura de uma píluls mágica é que você acaba gastando todo seu tempo procurando por ela em vez de realmente fazer o trabalho que precisa ser feito. Você percorre inúmeros artigos nos blogs de produtividade, na esperança de descobrir  uma dica que vá fazer de você um super-homem eficiente.

Você ouve um podcast depois do outro de pessoas que ganham a vida dizendo às demais pessoas como ganhar dinheiro online, na esperança que um dia você vá ter um “insight” que irá desbloquear o seu potencial para negócios, para que você também possa fazer sua vida online, contando às outras pessoas como elas podem ganhar a vida online. Você pesquisa e encontra o diário de gratidão perfeito para que você possa ser mais zen.

A coisa traiçoeira sobre a busca de pílulas mágicas é que você sente que está fazendo alguma coisa para alcançar seus objetivos, quando na verdade você não está fazendo nada. A pílula mágica caça esta masturbação em auto-aperfeiçoamento . Toda uma sensação, sem a produção metafórica de progênie.

[Imagem: 42-17214583.jpg]
(Você está orgulhoso do seu recorde!
Altas médias estão mantendo-o consistente.)

Em primeiro lugar nós paramos de fazer as coisas que ajudaram-nos a melhorar.
Então, digamos que você não deixe que a grandeza de seu objetivo oprima-o, e você não é um idiota caçador de pílulas mágicas também.

Você começa a trabalhar. Lentamente, mas certamente você começa a ver resultados. Você perde cinquenta reais. Você diminui em R$200,00 a sua divida. Você medita por 20 minutos por dia durante uma semana inteira.

Você está tendo sucesso!

Mas no nosso backsplapping² (prática de fazer uma exibição de efusiva simpatia, cordialidade, etc. Como os tapinhas nas costas) pessoal, faríamos bem em prestar atenção ao aviso de Napoleão Hil: “O maior perigo ocorre no momento de vitória”.

Há uma tendência de a gente ver o auto-aperfeiçoamento como um destino. Pensa-se que uma vez que você alcance seu objetivo, você está feito. Você pode achá-lo fácil. Então, quando as pessoas começam a ter algum sucesso e as coisas começam a ficar melhores em suas vidas, elas param de fazer as coisas que sempre fizeram pra chegarem a esse ponto. E assim elas começam a apostar na sorte.

Eu cai nessa armadilha quando eu estava tentando lidar com minha depressão. Eu tomei algumas medidas pró-ativas para prender minha desmotivação – meditar, escrever em meu diário, sair passear etc. Assim eu comecei a me sentir melhor, eu acho, “Hey! Eu venci desta vez! Estou curado!”. Então eu relaxei. Eu parei de fazer as coisas que me ajudaram a me sentir melhor. E, claro, eu voltei a me sentir terrível.

Auto-aperfeiçoamento não é um destino. Você nunca está pronto. Mesmo se você tiver algum sucesso, se você quiser mantê-lo, você tem que continuar fazendo as coisas que você estava fazendo e que te levaram a ter sucesso.

O efeito Kaizen: Melhore 1% a cada dia

“Pequenos golpes derrubam grandes carvalhos” – Benjamim Franklin

É hora de sair da montanha russa de auto-aperfeiçoamento.
Para fazer isso, vamos abraçar a filosofia da pequena melhoria contínua.

Ela é chamada Kaizen. Soa como uma filosofia japonesa mística transmitida aos sábios, sábios barbudos que viviam em cavernas secretas.

A realidade é que ela foi desenvolvida por teóricos da época da Grande Depressão sobre a gestão dos negócios norte-americanos, a fim de construir o arsenal da democracia que ajudou os EUA a vencer a Segunda Guerra Mundial. Em vez das empresas realizarem radicais mudanças na sua infra-estrutura e processos de negócios, esses teóricos da administração aconselharam as empresas a fazer melhorias contínuas em pequenas formas.

Um manual foi criado pelo governo dos EUA para ajudar as empresas a implementar esta filosofia empresarial encorajando os supervisores da fábrica para “olhar para centenas de pequenas coisas que você pode melhorar. Não tente planejar um layout totalmente novo no departamento – ou ir atrás de uma grande instalação de novos equipamentos. Não há tempo para isso. Procure por melhorias nos postos de trabalho existentes com o seu equipamento atual”.

Após a América e seus aliados haverem derrotado o Japão e a Alemanha com o armamento produzido por centrais que utilizavam a pequena filosofia de melhoria contínua, a América introduziu o conceito das fábricas japonesas para ajudar a revitalizar a sua economia. Os japoneses levaram a idéia de melhoria continua e imediatamente lhe deram um nome: Kaizen – termo japonês para melhoria contínua.

Enquanto as empresas japonesas abraçaram esta idéia americana da pequena melhora contínua, as empresas americanas em um ato de amnésia coletiva esqueceram-se de tudo. Em vez disso, a “inovação radical” tornou-se a palavra de ordem nas empresas americanas.

Usando o método Kaizen as empresas de automóveis japonesas como a Toyota, lentamente, mas seguramente começaram a superar as montadoras americanas durante os anos de 1970 e 1980. Em resposta, as empresas americanas começaram a perguntar às empresas japonesas para que os ensinassem sobre a sua filosofia de negócios, sendo que as empresas americanas é que tinham originalmente ensinado isso aos japoneses. 

[Imagem: Small-Things-Over-Time-2.jpg]

O método Kaizen foi originalmente desenvolvido para ajudar as empresas a melhorar e prosperar, mas ele também aplicável em nossas vidas pessoais, e é o antídoto perpétuo, para a indução de vômito causada pelos passeios na montanha-russa do auto-aperfeiçoamento.

Em vez de tentar mudanças radicais em um curto espaço de tempo, apenas fazendo pequenas melhorias a cada dia nos levará gradualmente para à mudança que se quer.

Cada dia concentre-se apenas em conseguir melhorar em 1% em tudo que você está tentando melhorar. É isso ai. Apenas 1%.

Pode não parecer muito, mas esses 1% de melhoria começam compondo um o outro. No início, suas melhorias serão tão pequenas que parecerão praticamente inexistentes. Mas, gradualmente, e muito lentamente, você vai começar a notar melhorias em sua vida. Pode levar meses ou mesmo anos, mas as melhorias virão se você se concentrar apenas em consistentemente ir aumentando seu desenvolvimento em 1%.

Você vai finalmente chegar a certo ponto com seu desenvolvimento pessoal, em que um aumento de 1% na melhoria é igual à mesma quantidade de melhoria que você experimentou nos primeiros dias combinados. Isso é difícil da nossa mente conseguir imaginar na realidade, por causa da matemática. Mas pense nisso: 1% de 1 é apenas 0,01%; 1% de 100 é 1. Você está talvez em 1 , e só estará fazendo pequenas melhorias por algum tempo. Mas ficará com essa melhora. Com o tempo você vai finalmente chegar a esse nível 100 (e além), onde você estará melhorando por um fator de 1 a cada dia.

Esse é o poder do efeito cumulativo.

Porque o método Kaizen funciona?

“Quando você melhora um pouco a cada dia, as coisas grandes eventualmente chegam. Quando você melhora o condicionamento um pouco cada dia, com o passar do tempo você terá uma grande melhoria no condicionamento. Não amanhã, não no dia seguinte, mas, eventualmente, um grande ganho é feito. Não olhe para uma grande melhoria rápida. Procure a pequena melhora de um dia de cada vez. Essa é a única maneira que isso acontece – e quando isso acontece, ela dura” – John Wooden.

A abordagem Kaizen para o auto-aperfeiçoamento contorna completamente os altos e baixos improdutivos muito comuns para a missão do desenvolvimento pessoal. Ao quebrar os grandes objetivos, esmagando-os em pedaços super pequenos e discretos, o método Kaizen incentiva a ação. O pequeno sucesso que você experimenta com seus passos de bebê se alimenta de si e começa a construir algum impulso, o que o leva a dar passos cada vez maiores.

Além do mais, um dos pressupostos subjacentes da metodologia Kaizen é que não há nenhuma pílula mágica que irá subitamente tornar as coisas melhores. A mudança vem através da melhoria pequena e contínua. Em vez de desperdiçar seu tempo procurando a “única coisa” que vai mudar tudo, o Kaizen calmamente direciona sua atenção para a tarefa à mão e oferece este lembrete necessário: “Você já sabe o que precisa fazer. Comece a trabalhar e encontre pequenas maneiras de melhorar ao longo do caminho.”

Finalmente, Kaizen não é uma abordagem da vida. “faça uma única coisa e estará feito”. É um processo de melhoria contínua. Você nunca vai “chegar” com o Kaizen, então a tentação de descansar sobre os louros, uma vez que você viu um pouco de melhoria é reduzida. A mentalidade Kaizen lembra que todas as melhorias devem ser mantidas, se você quiser proteger seus ganhos. Como Rory Valden diz: “O sucesso não é propriedade, é alugado. E o aluguel é devido a cada dia.

Como implementar o método Kaizen em sua vida

Pergunte a si mesmo a cada dia: Qual a pequena coisa que eu posso começar a fazer que irá melhorar minha vida?

Então, comece pequeno. Curta realmente isso:

• Quer começar a fazer exercícios? Basta fazer uma única flexão, logo que você sair para fora da cama de manhã. Na manhã seguinte, adicione mais uma. E assim por diante. Em dois meses você estará fazendo 60 flexões na parte da manhã. No prazo de um ano, você estará dando uma de Charles Bronson na corrida pelo seu dinheiro.

• Quer estabelecer uma rotina de manhã e a noite? Comece com a noite, e concentre-se nos 10 minutos imediatamente antes de ir para cama. Planeje o que vai fazer durantes esses 10 minutos – pode ser tão simples como escovar os dentes por 2 minutos, usar o fio dental por 1 minuto, e ler por 7 minutos – e torne isso um habito. Todos os dias adicione mais 5 minutos intencionais até que toda a sua noite se torne uma rotina satisfatória. Em seguida, trabalhe a parte da manhã.

• Quer começar um diário? Em vez de fazer uma meta para escrever uma página a cada dia, basta começar a escrever por um minuto. É isso aí. Você só poderá obter uma ou duas frases, mas tudo bem. No dia seguinte, adicione um minuto. Em um mês, você estará escrevendo em seu diário durante 30 minutos, se isso é algo que você quer fazer.

• Quer começar a ler mais a Bíblia? Comece com um simples versículo. Adicione outro versiculo a cada dia, até que você esteja lendo um capítulo por dia.

• Quer começar a meditar? Comece com um minuto de exercícios respiratórios. 

• Quer perder peso? Corte a bebida açucarada. Ou corte seu habitual lanche da tarde pela metade.

Você começa a idéia. Pense no menor passo que você pode tomar para mover-se gradualmente em direção ao seu objetivo. Em seguida, tente torná-la menor ainda.

Ao abordar grandes metas, geralmente o aconselhado é só trabalhar em um objetivo de cada vez, mas com a abordagem Kaizen aproximamos o trabalho em várias coisas ao mesmo tempo tornado-o factível.

Tente fazer apenas 1% melhor que no dia anterior. Comece pequeno e faça seus aumentos graduais. Evite a tentação de ficar impaciente e começar correndo para frente e dar saltos maiores. Vá com calma, estável e consistente.

Basta fazer um pouco melhor do que você faz no dia anterior.

Sim, as melhorias serão graduais. Alguns dias você poderá nem notar sua melhoria e vai ser tentador abandonar o barco e tentar outra coisa. Mas com o Kaizen, o tempo é seu aliado. Você tem que jogar o jogo longo com seu auto-aperfeiçoamento – você tem que desenvolver o que a lenda da luta livre Dan Gable chama de “Paciência da Mudança”.

Como meu amigo Mark Rippetoe dizia: “Basta fazer o programa!”.

Uma vez que você alcançou seu objetivo, inicie o plano de manutenção, e mantenha-o para o resto de sua vida. Perdeu peso suficiente? Mantenha o plano de dieta/exercícios maleável por tempo indeterminado. Alcançou o ponto onde você está lendo 30 minutos por dia? Mantenha-o, e desfrute assistindo os livros-lidos acumulados por anos na sua biblioteca.

Auto-aperfeiçoamento não é um destino, é um processo. É como fazer a barba; mesmo que você faça isso esta manhã, você ainda vai ter que acordar e fazê-la novamente amanhã. O processo nunca termina.

Dá-se idéia de que um dia você vai “chegar”. Você nunca vai chegar. Em vez de focar nos resultados de seu esforço para melhorar a si mesmo, concentre-se no processo. Divirta-se dançando nessa jornada.

E lembre-se: Se você quiser manter a melhoria que você fez, você tem que continuar fazendo as coisas que trouxeram sucesso a você. Não deixe que o seu sucesso inicial acalme-o em uma falsa segurança e permita-o afrouxar.

Sobre Contratempos

Claro, você encontrará contratempos. Alguns dias você pode ficar pior em 1%. Está bem. É apenas 1% pior. Esqueça sobre ontem e se concentre no hoje. Volte para a luta e comece a fazer 1% melhor novamente.

A mudança é possível.

Você conseguirá melhorar.

Isso precisa de tempo e paciência.

Com pequenos golpes, você certamente derrubará grandes carvalhos.